Aquecimento e Ordem dos Passos do Ballet [Barra]

Compartilhe

Já vimos anteriormente que a prática do ballet é extremamente saudável para pessoas de todas as idades e gênero. É um exercício físico bastante completo, além dos benefícios mentais, psicológicos e até mesmo espirituais.

Mas, o que é e como se desenvolve uma aula de ballet? Pois quando assistimos apresentações de dança, vemos a beleza, a graciosidade, a sincronia, etc, porém não fazemos ideia de como os bailarinos se preparam para essas execuções.

 

Dia a dia do bailarino

No ballet clássico tradicional, o trabalho dos bailarinos é intenso e dura de 6 a 8 horas por dia, começando com um aquecimento geral do corpo.

Esse aquecimento varia de pessoa para pessoa, alguns preferem um aquecimento aeróbico, outros um lento alongamento. Além disso, a temperatura ambiente também influencia, já que nas estações mais frias geralmente leva-se mais tempo para aquecer.

Após o aquecimento inicia-se a parte técnica, onde serão praticados os exercícios necessários para a execução dos passos, que se dará na sequência que você verá mais abaixo.

A aula técnica dura de 90 a 120 minutos, e todo o tempo restante do dia de trabalho é dedicado às montagens coreográficas, aos ensaios e correções das obras a serem apresentadas.

As aulas de balé também variam bastante, dependendo do método que é adotado nas aulas.

Escolas e métodos

Cada método tem suas peculiaridades e formas de trabalho, mas todos têm o mesmo objetivo, a criação artística.

Os professores e diretores de escolas e companhias de ballet adotam o método que consideram adequado aos seus alunos e/ou profissonais; alguns utilizam mais de um método, mesclando seus conteúdos, dependendo dos objetivos que desejam atingir.

Existem vários métodos, uns mais conhecidos que outros, sendo que o mais antigo é o da Escola Francesa.

Seguem-se, pela ordem de antiguidade os métodos:

  • Bournonville (Dinamarca);
  • Checchetti (Itália);
  • Royal Academy (Inglaterra).

Os métodos considerados mais “modernos” são:

  • Vaganova (Rússia);
  • Balanchine (Estados Unidos);
  • Escola Cubana de Ballet (Cuba)

Assim, uma aula de ballet pode variar em relação ao seu conteúdo dependendo do método adotado, porém todas são compostas das mesmas partes:

  • Exercícios na Barra
  • Exercícios no Centro
  • Execução de Sequências de Passos
Posições da cabeça

Passos da Barra

Hoje nos dedicaremos a explicar quais tipos de exercícios são feitos na barra, para que servem e como eles podem ajudar a “construir” o corpo da (o) bailarina (o); quantos e quais são os benefícios da prática de barra, quais músculos trabalha, etc.

Em primeiro lugar, é necessário dizer que cada tipo de exercício é feito com um ritmo musical específico, o que é muito importante para que os movimentos entrem em sintonia com a música, e esta, por sua vez, colabore na intensidade da própria execução.

Dessa forma, por exemplo, em um exercício de agilidade não se deve utilizar um adágio, pois o tempo musical não inspira movimentos rápidos e enérgicos, e sim movimentos lentos e suaves.

Os exercícios na barra devem seguir uma ordem predeterminada de execução, pois é dessa forma que os objetivos desejados serão atingidos.

Como já foi explicado anteriormente, cada método tem suas particularidades, porém aqui utilizaremos as orientações da Escola Cubana, por ser considerada a que mais rápidos resultados oferece, além de ser mais adequada ao físico “latino”.

Recomenda-se que sejam alternados os exercícios rápidos com os lentos, o que contribui para uma maior resistência física, de maneira que não haja sobrecarga nos grupos musculares envolvidos. Esse é o segredo das pernas alongadas e firmes dos bailarinos.

É extremamente importante que sejam executados simultaneamente os movimentos de cabeça, braços e pernas, sendo que cada movimentação possui as posições pré-definidas.

Você aprenderá  como usar essas posições repetindo-as constantemente, de tal maneira que se tornem movimentos completos e fluídos, harmônicos.

Os exercícios realizados na barra são os que constroem a força e a postura correta, a mudança de peso de uma perna para outra; aquecem a musculatura, aumentam a flexibilidade e trabalham o equilíbrio.

Eles também melhoram sua agilidade, desenvolvem a coordenação motora e estimulam a memória, uma vez que precisam ser decorados antes de serem executados.

Ordem dos passos

A ordem dos exercícios, de acordo com a metodologia cubana, é a seguinte:

1 – Demi-plíés e battements tendus em 1ª posição dos pés.

Exercício lento, prepara o aquecimento dos pés e joelhos, trabalha a correta colocação do corpo.

2- Demi-plíes e battements tendus em 2ª, 4ª  5ª posições

Também um exercício lento, tem função de trabalhar a distribuição do peso do corpo em posições “abertas” (2ª e 4ª) e fechada (5ª).

3 – Battements tendus rápidos

Exige o alongamento das pernas, firmemente posicionadas, e a correta colocação do quadril, mantendo a coluna ereta.

4- Grand pliés e ronds de jambe par tèrre

Os grand pliés são “grandes flexões” das pernas, que aumentam a flexibilidade e a força. Ronds de jambe trabalham particularmente os músculos e articulações do quadril, como um todo.

5 – Battements jetés

Ênfase na força dos músculos internos das coxas, são movimentos rápidos com os pés elevados do chão à 25°, promovem a ligeireza das pernas e pés e a mudança de peso do corpo de uma perna para outra. Exercício fundamental para a execução de pequenos saltos, com agilidade.

6- Battements fondus

Exercíco lento ou de média velocidade, sua função é fortalecer as pernas para suportar o peso do corpo em uma só perna enquanto a outra se mantém no ar, à 45°, 60°, 90° ou mais, dependendo do nível do praticante.

Os battements fondus preparam o corpo para os médios e grandes saltos.

7- Battements frappés e petits battements

Sendo o mais rápido dos exercícios na barra, o battement frappé (“batido”)  e o petit battement dão muita agilidade, entrecruzando pernas e pés; trabalham os músculos internos das coxas e são usados nos saltos com “bateria”, onde as pernas “batem” uma na outra com rapidez.

8- Ronds de jambe en l’air

Exercício de média velocidade, auxilia na sustentação da perna no ar, força no quadril e na flexibilidade do joelho.

9- Adágio

Melhora a flexibilidade e a força de todo o corpo, no adágio busca-se grandes extensões de pernas, movimentos fluídos; toda a musculatura dorsal e abdominal são exigidas para que as posições sejam executadas corretamente.

10- Grands battements

Exercício enérgico, explosivo, complementa todos os anteriores dando ao corpo a força de impulsão necessária para a realização dos grandes saltos.

Embora esses sejam os exercícios fundamentais na barra, outros são mesclados à eles, tais como:

Relevés: dão força aos artelhos, tornozelos e joelhos.

Passés ou retirés: aumentam a flexibilidade do quadril e força nas coxas.

Souplés e cambrés: são grandes extensões e contrações da coluna vertebral, melhorando sua flexibilidade e aumentando o tônus muscular.

Embora possa parecer difícil, à primeira leitura, com toda essa nomenclatura em francês, você verá que em poucas aulas já estará familiarizada com eles, pois haverá uma associação entre o nome e uma posição ou movimento específico, mais fácil do que aprender um idioma, pois você terá a memória corporal à seu favor.

Aliás, muitos professores nem mesmo se preocupam muito se os alunos aprendem rapidamente a nomenclatura ou não, o que importa é a correta realização dos exercícios.

Executar os exercícios de barra – ou, na linguagem ballética, “fazer a barra”, vai lhe proporcionar ótimos momentos de harmonização mente-corpo, acompanhada de músicas agradáveis que funcionarão como uma meditação.

Portanto, vale a pena o esforço de começar, apaixonar-se e dedicar-se!

 

 

 

2 comentários sobre “Aquecimento e Ordem dos Passos do Ballet [Barra]

  1. Adorei todos os documentários, são verdadeiros, sinceros e explicam com simplicidade todas as realidades que são vivenciadas pelas pessoas que crêem, amam e sabem que o Ballet Clássico, para crianças e adultos, são um grande benefício para o corpo corpo e para a Mente/Alma.
    Parabéns Marly pelos textos e pela iniciativa

Deixe um comentário

Chame no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: